Category Archives: América Central

REPÚBLICA DOMINICANA SE POSICIONA COMO LÍDER DO CARIBE NO SEGMENTO M.I.C.E

Categoria: América Central República Dominicana Trade

A República Dominicana é conhecida como um dos destinos mais atraentes tanto para viagens de negócios quanto de lazer, onde você pode combinar o rigor de reuniões com as maravilhas do Caribe. Com estrutura para reuniões e convenções em todo o país, um moderno sistema de telecomunicações, excelentes conexões aéreas e atrações para satisfazer os viajantes mais exigentes, a República Dominicana tem se posicionado como um dos melhores destinos para o segmento MICE.

 

REPÚBLICA DOMINICANA: O DESTINO IDEAL PARA O ROMANCE

Categoria: América Central República Dominicana

A República Dominicana, o destino número um Caribe, é o paraíso ideal para viver momentos inesquecíveis em casal. O país oferece o cenário perfeito para realizar o casamento dos sonhos, ambientado pelas paisagens caribenhas paradisíacas, praias sedutoras, pôr do sol espetacular e um clima quente.

 

 

REPÚBLICA DOMINICANA: TUDO QUE VOCÊ SONHA

Categoria: América Central República Dominicana Turista

A diversidade natural da República Dominicana, composta por uma mistura de praias com montanhas, manguezais, desertos e rios, fazem com que o destino caribenho seja ideal para a prática do turismo de aventura. A região a leste-sudeste da República Dominicana conta com destinos populares como Punta Cana, Bayahibe, La Romana e Santo Domingo que encantam com lindas vistas panorâmicas e águas cristalinas aqueles turistas com sentimento de aventura que buscam liberar a adrenalina e desfrutar da natureza nas proximidades.

 

 

Venha se apaixonar no coração do Caribe

Categoria: América Central

A República Dominicana é um lugar sem igual, que conta com natureza exuberante, história fascinante, além de grande riqueza cultural e 400 km das melhores praias do mundo. Localizado no coração do Caribe, a República Dominicana é o segundo maior e o mais diversificado país da região. Possui voos diretos com saídas das principais cidades latino-americanas e é um destino que se destaca pela qualidade de seu clima e hospitalidade de sua gente.

Uma Longa História de Descobertas e Refúgio. Perfeito para suas férias.

Categoria: Turista Turks e Caicos

Quando descrevem essas ilhas como “Lindas por natureza”, é realmente algo literal. As cristalinas águas de cor turquesa e praias de areias brancas são as marcas registradas das mais de 40 ilhas e ilhotas que formam o país. Pratique mergulho, pesca, golfe, windsurf e ski aquático o quanto quiser num dos cantos intactos do Caribe, tendo sido desenvolvido com o diferencial de estar localizado a apenas 925 quilômetros de Miami.

 

 

 

 

 

Com 80% do arquipélago inabitado e acessível apenas por pequenos aviões, balsas ou barcos, Turks e Caicos é o lugar onde aqueles que têm o espírito desejam ir.

Aventure-se além dos resorts de Providenciales para Grand Turk, sede do governo e lar de uma charmosa e histórica arquitetura colonial bermudiana. Após um vôo de 20 minutos partindo de Porvo, passeie pelas ruas típicas e estreitas para mergulhar nas lembranças da época de extração de sal e viagens marítimas do passado.

Visite o altamente conceituado Museu Nacional, abrigado num alojamento Guinep de mais de 150 anos.

 

A Migração de Baleias Jubartes do Atlântico é um dos Maiores Espetáculos da Natureza

Como chegar às ITC
Há vôos de Atlanta, Boston, Charlotte, Dallas, Miami, Newark, Nova Iorque, Filadélfia, Montreal, Toronto, Londres, Jamaica e Nassau com destino a Providenciales, o principal portão de entrada para a maioria dos visitantes. Grand Turk e South Caicos também possuem aeroportos internacionais, porém com uma agenda de serviços mais limitada.

A American Airlines faz atualmente dois vôos diários partindo de Miami, e partindo de Dallas aos sábados.
A US Airways faz vôos diários partindo de Charlotte e Filadélfia, e partindo de Boston aos sábados.
A JetBlue Airways oferece serviços diários partindo de Nova Iorque/JFK, e partindo de Boston aos sábados.
A United Airlines viaja diariamente partindo de Newark, exceto nas terças-feiras.
A Delta Airlines possui vôos diários partindo de Atlanta.
Fora dos EUA, a Air Canada voa sazonalmente de Toronto, Montreal e Ottawa.
A West Jet possui vôos de Toronto e Montreal.
A British Airways voa partindo de Londres nos domingos.
A Bahamasair voa de Nassau nas terçasfeiras, quintas-feiras e sábados.
A Inter-caribbean Airways possui vôos entre Provo, Nassau, República Dominicana, Haiti e Jamaica.

Informações de contato:
Inter-caribbean Airways: 649 946 4999 www.intercaribbean.com/
Caicos Express Airways: 649 941 5730 www.caicosexpressairways.com
Global Airways: 649 941 3222

Requerimentos de entrada
Passaportes são obrigatórios para todos os visitantes, porém, não é necessário visto para cidadãos dos Estados Unidos, Canadá, União Europeia e Países da Comunidade Britânica. Os viajantes são aconselhados a entrarem em contato com o Consulado Britânico mais próximo. Todos os visitantes devem possuir bilhetes de ida e volta.

Por favor, entre em contato com o Departamento de Imigração local (649 941 7792 www.immigration.tc) para mais informações.

 Taxa de partida

É cobrado $60 sobre todas as pessoas com mais de 2 anos de idade.
Na maioria dos casos, essa taxa é cobrada pela companhia aérea ou agente de viagem no momento da compra do bilhete.

Uma Longa História de Descobertas e Refúgio. Perfeito para suas férias.
Quando descrevem essas ilhas como “Lindas por natureza”, é realmente algo literal. As cristalinas águas de cor turquesa e praias de areias brancas são as marcas registradas das mais de 40 ilhas e ilhotas que formam o país. Pratique mergulho, pesca, golfe, windsurf e ski aquático o quanto quiser num dos cantos intactos do Caribe, tendo sido desenvolvido com o diferencial de estar localizado a apenas 925 quilômetros de Miami. Com 80% doarquipélago inabitado e acessível apenas por pequenos aviões, balsas ou barcos, Turks e Caicos é o lugar onde aqueles que têm o espírito desejam ir.
Aventure-se além dos resorts de Providenciales para Grand Turk, sede do governo e lar de uma charmosa e histórica arquitetura colonial bermudiana. Após um vôo de 20 minutos partindo de Porvo, passeie pelas ruas típicas e estreitas para mergulhar nas lembranças da época de extração de sal e viagens marítimas do passado.Visite o altamente conceituado Museu Nacional, abrigado num alojamento Guinep de mais de 150 anos.

A Migração de Baleias Jubartes do Atlântico é um dos Maiores Espetáculos da Natureza

Como chegar às ITC

Há vôos de Atlanta, Boston, Charlotte, Dallas, Miami, Newark, Nova Iorque, Filadélfia, Montreal, Toronto, Londres, Jamaica e Nassau com destino a Providenciales, o principal portão de entrada para a maioria dos visitantes. Grand Turk e South Caicos também possuem aeroportos internacionais, porém com uma agenda de serviços mais limitada.
A American Airlines faz atualmente dois vôos diários partindo de Miami, e partindo de Dallas aos sábados.
A US Airways faz vôos diários partindo de Charlotte e Filadélfia, e partindo de Boston aos sábados.A JetBlue Airways oferece serviços diários partindo de Nova Iorque/JFK, e partindo de Boston aos sábados.A United Airlines viaja diariamente partindo de Newark, exceto nas terças-feiras.A Delta Airlines possui vôos diários partindo de Atlanta.

Fora dos EUA, a Air Canada voa sazonalmente de Toronto, Montreal e Ottawa.A West Jet possui vôos de Toronto e Montreal.A British Airways voa partindo de Londres nos domingos.A Bahamasair voa de Nassau nas terçasfeiras, quintas-feiras e sábados.A Inter-caribbean Airways possui vôos entre Provo, Nassau, República Dominicana, Haiti e Jamaica.
Informações de contato:Inter-caribbean Airways: 649 946 4999 www.intercaribbean.com/
Caicos Express Airways: 649 941 5730 www.caicosexpressairways.com
Global Airways: 649 941 3222
Requerimentos de entrada
Passaportes são obrigatórios para todos os visitantes, porém, não é necessário visto para cidadãos dos Estados Unidos, Canadá, União Europeia e Países da Comunidade Britânica. Os viajantes são aconselhados a entrarem em contato com o Consulado Britânico mais próximo. Todos os visitantes devem possuir bilhetes de ida e volta.Por favor, entre em contato com o Departamento de Imigração local (649 941 7792 www.immigration.tc) para mais informações.
Taxa de partida
É cobrado $60 sobre todas as pessoas com mais de 2 anos de idade.Na maioria dos casos, essa taxa é cobrada pela companhia aérea ou agente de viagem no momento da compra do bilhete.

Panamá

Categoria: Europa Panamá

PANAMÁ – ENCRUZILHADA DAS CULTURAS DO MUNDOAlém de abrigar a maior biodiversidade da vida selvagem, mais que qualquer outro país da América Central, o Panamá é dotado de atrações da natureza, como praias, lagos , duas costas matrítimas, selvas, florestas e matas tropicais e todo o tipo de vida animal terrestre e aquática.Cerca de 25% da massa de terra é protegida através de 14 parques nacionais, uma dúzia de reservas florestais e 10 abrigos para a vida animal.
Centenas de ilhas e quilômetros de bancos de coral oferecem soberbas oportunidades de mergulho, natação e prática de esportes. marinhos. O Panamá foi descoberto em 1.501 por Rodrigo de Bastidas, capitão que velejou com Colombo em sua segunda viagem à América. Naquela época, cerca de 60 tribos indígenas viviam no Panamá.
Há três grupos étnicos importantes no Panamá: os Kunas, na Ilha de San Blas, no Caribe, o Emberá, na provincia de Darién e os Guaymies nas provincias de Chiriqui, Bocas del Toro e Veraguas. Há ainda os índios Teribe e Bokota em Bocas del Toro e os Wounaans no Darién. Essas tribos, ao longo dos 450 anos de espanhóis, índios e imigrantes dos quatro continentes, forjaram a variedade e profundidade da história, cultura e tradição panamenhas.
A diversidade étnica do Panamá é demonstrada na diversidade dos produtos tradicionais, na colorida ” Pollera”, o vestuário nacional, e nos ” tembleques” que as mulheres usam no cabelo. Os homens usam camisas de manga comprida, calças compridas e o chapéu ” Montuno”. As festividades do Carnaval ocorrem antes da quaresma. Os festivais em honra ao Santo Patrono abundam nas cidades de todo o país, durante todo o ano.

GeografiaA área total do Panamá é de 18,233 quilômetros quadrados. Uma cadeia de montanhas forma a espinha desse país em forma de “S”, com picos de cerca de 2,400 metros de altura. A topografia varia de montanhas, na costa caribenha a pequenos montes e amplas savanas na direção do Pacífico. As planícies representam quase 85 por cento do território do país. A floresta tropical é a vegetação dominante na Zona do Canal, ao longo da
costa caribenha e na metade oriental do país. Mais de 1.000 ilhas são encontradas dentro da área territorial do Panamá. Cerca de 500 rios cortam o país e mais da metade do Panamá ainda guarda suas florestas. No Canal, o Panamá tem apenas 80 quilômetros de largura.
População

Segundo o censo de janeiro de 1.990, a população é estimada em 2.600.000. Cerca de 49 por cento dos habitantes vivem nas áreas urbanas. A população da Cidade do Panamá, a capital, é avaliada em 825.300 habitantes. Os panamenhos originam-se de muitas etnias e bases nacionais diferentes, sendo 62% mestiços, 14% africanos, 10% espanhóis, 5% mulatos e 5% índios.

Governo

A República do Panamá é um estado soberano e independente. Seu governo é unitário, republicano, democrático e representativo. Compõe-se de três seções governamentais: Executivo, Legislativo e Judiciário. Politicamente, o Panamá divide-se em 9 Províncias e 2 Comarcas ou Territórios Indígenas que, por sua vez, são divididos em 67 Distritos.

Religião

Há total liberdade de crença no Panamá. Embora a maioria dos panamenhos seja católica romana, há inúmeras igrejas, templos e sinagogas com serviços diários.

Idioma

Embora o espanhol seja o idioma oficial do Panamá, o inglês é amplamente falado e entendido nas grandes cidades.

Clima

O país possui um clima tropical agradável, uma temperatura média de 27 ºC, mas chove à noite e é bastante confortável. A umidade apresenta a média de 70%. A estação das chuvas vai de maio a dezembro. Durante a Estação da Seca, os ventos mantêm o ar constantemente fresco. Nas montanhas, a temperatura média é de 10ºC a 15ºC.

Vestuário

Recomenda-se o uso de roupas leves. Para o trabalho, o vestuário é formal, sendo recomendado um terno leve para homens e vestidos ou calças compridas para as mulheres. É necessário o uso de chapéus com abas e óculos escuros para a praia e caminhadas.

Hora

O país do Panamá está localizado, durante todo o ano, na Hora Padrão da Zona Oriental dos Estados Unidos.

Serviços Públicos e Eletricidade

A eletricidade é de 110v – 60hz e 220v. O Panamá possui excelentes serviços de comunicações internacionais via telefone e cabo. Há sistema de ligação telefônica direta para o interior do país e todos os países do mundo. O código telefônico internacional do país é 507.

Moeda e Taxas Locais

Desde 1.904, o dólar americano é moeda legal no Panamá. A unidade monetária panamenha é o Balboas (B /.) ou em dólares ($). Os travelers checks e cartões de crédito são amplamente aceitos. A taxa de embarque internacional, no momento, é de US$20.00, cobrada no aeroporto. As taxas nos hotéis são de 10% e o Imposto Sobre Consumo, cobrado sobre os bens e serviços que não sejam alimentação e medicamentos, é de 5%.

Panamá, Centro Bancário

Cerca de 150 bancos internacionais e suas filiais atuam no Panamá. Aqui estão representados os Estados Unidos, Brasil, Colômbia, Venezuela, Taiwan, Argentina, Coréia do Sul, Japão, Alemanha, Holanda, Suíça, Canadá, China, Espanha, França e outros países. Os horários bancários são, normalmente de segunda-feira a sexta-feira, das 8:00 h às 13:00 h ou 15:00 h. Alguns bancos funcionam aos sábados, até às 18:00 horas.

Compras

O Panamá é porto livre para produtos de todo o mundo, com jóias, pedras preciosas, toalhas de mesa bordadas, artesanato original, relógios, perfumes, máquinas fotográficas, equipamentos eletrônicos e fotográficos, equipamentos domésticos elétricos, cristal e porcelana fina, tudo a preços razoáveis. A maioria das lojas funcionam das 9:00 h
às 20:00 h, de segunda-feira a sábado.; Muitas abrem aos domingos e há liquidações durante o ano todo. Os supermercados são modernos e bem sortidos, muitos abertos 24 horas. Há grandes e modernos shopping centers no Panamá, com grande variedade de lojas especializadas. A cidade do Panamá é o paraíso das compras. Na Via España e na Avenida Central, encontra-se de tudo, da última moda aos computadores mais
complexos e artesanatos a bons preços.. As lojas de artesanato oferecem uma variedade de trabalhos em madeira e em palha, bordados e pinturas, além das famosas Molas feitas à mão pelos índios Kuna.

Transportes

Por terra, a Rodovia Pan-Americana Highway, também chamada de Rodovia Inter-Americana do Panamá, liga a Cidade do Panamá à fronteira da Costa Rica. Nessa altura, a selva de Darién ainda é impenetrável, impedindo o acesso por terra à Colômbia. A Rodovia Trans-Istmo conecta a Cidade do Panamá a Colon.
Mesmo as áreas mais remotas do Panamá podem ser atingidas por estradas secundárias asfaltadas. O serviço de ônibus é bom e cobre todo o país, assim como para outros países da América Central e para o México. Os taxis cobram pela jornada e as grandes companhias de locação de carros estão representadas no Panamá. A idade mínima para dirigir é de 18 anos e as licenças para dirigir para estrangeiros têm 90 dias de validade.

Jogos e Cassinos

Os cassinos e outros jogos de azar são operados pelo governo e encontram-se, atualmente, em processo de privatização. A pista de corridas Presidente José Remon funciona nas quintas-feiras, sábados, domingos e feriados. No Panamá, os ganhos obtidos em jogos de azar não são tributados.

Requisitos para Entrada

Dependendo da cidadania do viajante, é necessário um passaporte válido e um visto, se requisitado pelo país de origem. O cartão turístico de $5.00 pode ser adquirido no balcão da companhia aérea no momento do embarque.

Companhias Aéreas

O Aeroprorto Internacional Tocumen localiza-se a 2 quilômetros do centro da cidade.
As companhias aéreas que servem o Panamá incluem American Airlines, AVIATECA, COPA, Continental Airlines, EVA Air, Delta Airlines, Iberia, LACSA, Mexicana e TACA. Os vôos domésticos partem do Aeroporto de Marcos A. Gelabert (Paitilla), na Cidade do Panamá. As companhias aéreas domésticas são Aeroperlas, Aero Taxi e Napiex.

Museus

Na Cidade do Panamá: Arte Religiosa Colonial; Ciências Naturais; Museu dAntropológico Reina Torres de Arauz; História do Panamá; Arte Contemporânea Afro-Antilhana; Arte Contemporânea e Casa Bancária Nacional do Panamá. Em outras localidades do Panamá: Museu Histórico em Penonome e Museu das Tradições na província de Cocle; Museu de arte Religiosa em Parita e Museu Herrera em Chitre; Museu Belisário Porras em La Tablas, Museu da Nacionalidade em Los Santos e Museu Manuel F. Zarate
em Guarare, na província de Los Santos. Em David, na província de Chiriqui, encontra-se o Museu de História e Cultura José De Olbaldía. A entrada custa de $50.00 a $ 5.00. A maioria dos museus abre de segunda-feira a sexta-feira.

Recursos Naturais

Panamá é uma palavra pré-colombiana que significa abundância de peixes, borboletas e pássaros. A rica biodiversidade do Panamá se deve à sua configuração e posição geográfica única, criando um istmo de convergência das Américas para centenas de espécies da flora e da fauna.

As extensas florestas tropicais do país são o lar de mais de 950 espécies de pássaros – mais do que todas as espécies de pássaros encontradas nos Estados Unidos e no Canadá em conjunto. Seus oceanos abrigam um mundo aquático de recifes de corais intactos e banham praias de areia espetaculares.

PARQUES NACIONAIS E ABRIGOS PARA A VIDA ANIMAL

Parque Nacional Metropolitano

Localizado nos limites da Cidade do Panamá, é a floresta tropical protegida mais próxima da área urbana das Américas. É aqui onde o Instituto Smithsonian realiza pesquisas científicas e ecológicas sobre proteção florestal.
Nas caminhadas pelas trilhas bordeadas de orquídeas e árvores de mogno, são encontradas cerca de 200 espécies diferentes de pássaros, mamíferos e répteis.

Parque Nacional de Soberania

A apenas 25 minutos da Cidade do Panamá, esse parque protege a bacia do Canal do Panamá. Nos limites de Soberania encontra-se o lar da única águia Harpia do mundo e a Rodovia do Oleoduto orgulha-se de deter o recorde da contagem mundial de pássaros, feita pela Sociedade Audubon – e isso durante 19 anos seguidos.

Parque Nacional de Chagres

Este extenso parque é o maior do sistema de parques a proteger a bacia do Canal do Panamá. A apenas 35 minutos da Cidade do Panamá, essa região montanhosa é abençoada com quedas d’água e vistas panorâmicas majestosas, assim como florestas tropicais luxuriantes, onde competem a flora e a fauna tropicais.

Parque Nacional Camino de Cruces

Uma das áreas mais recentemente protegidas do país, atua como corredor biológico entre o Parque Natural Metropolitano e o Parque Nacional de Soberania. Seu nome vem da Era Colonial, como parte importante da “travessia” trans-ístimica, usada há cerca de 400 anos atrás pelos espanhóis, e que ainda se encontra no parque.

Parque Nacional Portobello

Suas ricas florestas tropicais estão a apenas 2 horas da Cidade do Panamá, pelo Istmo. Esse parque é atraente tanto em belezas naturais como culturais. Explore o forte colonial e as trilhas pela floresta ou mergulhe no Mar do Caribe para descobrir tesouros perdidos.

Parque Nacional Altos de Campana

A apenas uma hora a oeste da Cidade do Panamá, pela Rodovia Pan-Americana, situa-se a entrada deste parque. Ali se encontram vistas panorâmicas, temperaturas frias e trilhas acessíveis, repletas de atividades da vida selvagem. O Altos de Campanha, junto com os parques nacionais de Soberania, Chagres, Camino de Cruces e Portobello totalizam
mais de 400.000 acres de florestas tropicais que preservam a bacia do Canal do Panamá.

Parque Internacional La Amistad

Administrado em conjunto pelo Panamá e pela Costa Rica, pelas autoridades responsáveis, esse parque apresenta algumas das florestas tropicais de montanhas mais antigas e menos tocadas da América Central. É o lar de linces e muitas espécies endêmicas de pássaros, mamíferos e anfíbios.

Parque Nacional Vulcão Baru
Como La Amistad, o Vulcão Baru localiza-se nas montanhas do Chiriqui, a uma hora, de avião e mais 30 minutos de carro da Cidade do Panamá. É a maior elevação do país, a 2.400 metros acima do nível do mar. Um dia claro revela uma vista panorâmica tanto do Oceano Pacífico como do Mar do Caribe. O resplandecente pássaro Quetzal, dentre outras raridades, é encontrado nesse local.

Parque Nacional e Marinha da Ilha Bastimentos

Recifes de coral, grandes extensões de mangues, praias de areia branca e águas cristalinas retratam os arredores naturais do primeiro parque marinho do Panamá. Todos os anos, centenas de tartarugas do mar voltam instintivamente para as praias de Bastimentos para pôr seus ovos, garantindo a sobrevivência da espécie. Um paraíso para mergulho e snorkel. A ilha também é o lar de muitas espécies endêmicas de sapos e
preguiças. De avião, fica a apenas 35 minutos da Cidade do Panamá.

Parque Nacional da Ilha Coiba

A segunda maior ilha do Oceano Pacífico Americano após Vancouver, no Canadá. Contudo, os recifes de corais mais extensos e saudáveis do Pacífico dessa região do mundo localizam-se no parque. É dotado de vida marinha abundante, incluindo várias espécies de baleias e peixes coloridos, luxuriantes florestas tropicais, lar de espécies
espetaculares, incluindo as araras vermelhas e verdes.

Parque Nacional Cerro Hova

Localizado na extremidade sul da Península Azuero, contemplando o Oceano Pacífico, é uma das regiões menos exploradas do país. Aqui é fácil nos depararmos com o veado de rabo branco e o periquito Careto. É acessível por estrada a partir do Chiré.

Parque Nacional Sarigua

Região costeira extremamente árida, localizada a leste da Península de Azuero, é resultado de enchentes contínuas de água salgada provenientes do istmo do Panamá, das profundezas do oceano, há centenas de anos atrás.
As descobertas arqueológicas são um dos atrativos de uma viagem pela região. Localiza-se a 45 minutos de Chiré.

Parque Nacional Darién

Reserva Mundial da Biosfera, segundo declaração da UNESCO, protege uma região intocável de florestas tropicais exuberantes de cerca de 1,2 milhões de acres, ao longo da fronteira com a Colômbia, a leste do Panamá. Mais de 300 espécies de pássaros, incluindo a águia Harpia, 4 espécies de araras e muitas outras, endêmicas, fazem desse território um dos melhores postos de observação de pássaros do mundo. Rico em cultura
e história, o Darién é a terra dos povos indígenas Embera, Wounan e Kuna.

Reserva Natural de Punta Patiño

Única área protegida de propriedade particular do país, é administrada pela organização de conservação sem fins lucrativos, a ANCON do Panamá. Foi salva dos machados dos madeireiros há uma década atrás e é agora o refúgio de centenas de espécies da flora e da fauna no complexo de floresta tropical da reserva, ecossistemas de terra e mar.

Abrigo para a Vida Animal da Ilha de Barro Colorado

Localizado no Lago Gatun, no caminho do Canal do Panamá, é um pequeno espaço de terra famoso por ser a floresta tropical mais pesquisada do mundo. Administrado pelo Instituto Smithsonian, é um laboratório natural, onde, todos os dias, ocorrem importantes descobertas científicas. Colônias de formigas, famílias de macacos-aranhas, bandos
de queixadas, pássaros e borboletas são as principais atrações encontradas em suas trilhas.

Instituto de Turismo Panamenho
Información de Contacto
Avenida Balboa y Aquilino De La Guardia
Edificio BICSA Financial Center, Piso 29
Código Postal 0816
Aptdo. Postal 0816-00672
Central Telefónica: (507) 526-7000
http://www.atp.gob.pa
http://www.visitpanama.com

Guatemala

Categoria: América Central Guatemala

Cláudia Versiani

Depois de uma semana visitando a Guatemala, o que fica na memória, acima de tudo, são cores, muitas cores. Cores nas lindas “telas”, que é como se chamam os tecidos feitos em tear manual; cores nos deslumbrantes bordados dos vestidos das mulheres, que mudam de desenhos, tonalidades e estilos de acordo com a zona geográfica; cores que enfeitam o criativo artesanato dos descendentes dos maias; e as cores da natureza, das flores e do céu. Até a moeda, o quetzál, rende suas homenagens: é o nome de um colorido pássaro, considerado símbolo nacional.

Guatemalán, palavra que no idioma nativo significa “lugar de bosques”, deu o nome a este belo país da América Central, do tamanho aproximado ao de Pernambuco, e que acaba de sair de uma guerra civil, que durou 36 anos e acabou em dezembro de 1996. O país, com 10 milhões de habitantes, faz fronteira com Belize, México, Honduras, El Salvador, e com os oceanos Atlântico e Pacífico. Desde o fim da guerra civil sob um governo democrático, ainda guarda sinais do regime de exceção, como a lei seca, que existe há seis anos, e que proíbe a venda de bebidas alcoólicas após a meia noite.

A população é pobre e o país o segundo em analfabetismo na América Latina. Mas já recebeu dois prêmios Nobel, conferidos ao escritor Miguel Ángel Asturias, prêmio de Literatura em 1968, e à índia Rigoberta Menchú, prêmio da Paz em 1992.

O território da Guatemala foi explorado pelo espanhol Pedro de Alvarado, sob as ordens de Hernán Cortés, conquistador do México. No oeste do país 90% da população é mestiça; no leste, onde houve muitos assentamentos espanhóis, esta proporção cai para 8%. A parte mais desenvolvida é a costa sul, com suas plantações de cana de açúcar. Os principais produtos do país são café, açúcar e banana. Há petróleo no norte, e a costa do Pacífico é boa para a pesca esportiva e para o surfe. O turismo tem crescido em importância, e o competente Instituto Guatemalteco do Turismo produz belo material impresso de divulgação do país. O parque hoteleiro é notável, com belíssimos hotéis e vilas de arquitetura típica, alguns funcionando em antigos conventos.

O país é coalhado de lagos e vulcões, bonitas paisagens e muitas atrações. Como em geral nos países latinos de língua espanhola, o artesanato é lindo, com destaque para as “telas”, bonitos tecidos feitos em tear manual, herança cultural antiquíssima, do tempo dos maias – que habitaram as terras guatemaltecas, assim como os vizinhos México, Belize e Honduras. O povo, com indisfarçáveis traços indígenas, é simples, amável e reservado, e fala, além do espanhol, mais 23 dialetos, espalhados pelas várias regiões.

REGIÃO CENTRAL
A Cidade de Guatemala, capital do país, foi construída no final do século XVIII, e mostra a tradicional organização urbanística das cidades coloniais espanholas, com a grande praça, em torno da qual ficam os principais edifícios civis e religiosos. À saída do hotel, a paisagem característica: o vulcão Pacayo solta um rolo de fumaça branca. São ao todo 33 vulcões no país, três em atividade.

Antigua Guatemala, a 45 km da capital e a 1.500 m de altitude, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. É uma linda e romântica cidade, com animada vida noturna. Fundada em 1543, foi capital do Reino da Guatemala, quando a região que hoje engloba Costa Rica, San Salvador, Honduras, Nicarágua e parte do México era uma capitania geral. A cidade tem fábricas de jóias, que utilizam o jade abundante no lugar. Passear a pé proporciona surpresas como encontrar, na Calle del Arco, no pátio interno da bonita Posada Dom Rodrigo, um conjunto de seis músicos tocando marimba, contrabaixo e bateria. Em volta, pessoas tomando drinques e ouvindo a originalíssima performance. Nesse lugar pode-se comer o Jocóm, um dos pratos típicos do país: frango com um molho verde, feito com espinafre, pimentão, uma espécie de tomatinho verde e salsão. Na mesma rua, um pouco mais adiante, fica o centro de artesanato, que tem bonitas peças à venda. Um dos mais interessantes hotéis do país fica na cidade, no antigo Convento de Santo Domingo, construído em 1547, com deslumbrantes pátios internos, típicos da arquitetura espanhola, uma belíssima igreja, museus arqueológico e de arte sacra. Vale a pena visitá-lo.

ARTESANATO
Indispensável é ir até Chichicastenango, onde há uma igreja do século XVI, dedicada a Santo Tomás, e onde se pode assistir a uma missa bilíngüe, rezada em espanhol e quiché, a língua indígena. Ritos sincréticos são feitos pela população no interior do templo, utilizando pétalas de rosas e aguardente. Os padres, exceto durante as missas, toleram este sincretismo, mistura da religião católica com antigos ritos maias. Nesta cidade, em 1700, foi encontrado o Popol-Vuh, livro sagrado dos maias quichés, que explica a origem do mundo segundo suas crenças. Noventa por cento da população é de indígenas, que queimam incenso nas escadarias da igreja, deixando-a misteriosamente envolta em fumaça. As ruas em volta da igreja são tomadas pelo mercado do bonito artesanato -– tecidos, cerâmica, madeira talhada e prata, tudo feito com técnicas transmitidas de geração a geração, desde os maias. É um dos melhores lugares para comprar a produção artesanal do país.

LAGO ATITLÁN
À beira do balneário de Panajachel – diga-se de passagem, uma ótima opção de hospedagem, com bons hotéis e pousadas, alem de animada vida noturna – e não muito longe de Chichicastenango, fica o grande lago vulcânico Atitlán, em volta do qual há doze cidadezinhas e três vulcões inativos: Tolimán, Atitlán e S. Piedro. O escritor inglês Aldous Huxley o chamou de “lago mais bonito do mundo”. Justa homenagem. E os guatemaltecos, claro, adotaram este epíteto.

Em Santiago de Atitlán, um dos povoados na beira do lago, vivem 35 mil pessoas, que, para variar, produzem e vendem seu artesanato, que prima pelos têxteis lindíssimos. Em algumas casas pode-se ver a chuj, sauna caseira que existe desde os maias. O sincretismo religioso se manifesta num curioso ritual com muito álcool e tabaco, e os praticantes vestidos com trajes típicos: é o culto a Maximon, imagem vestida de maneira berrante, que fica na casa dos fiéis. Coloridas e curiosas são também as roupas das imagens dos santos da igreja de Santiago, construída em 1547.

CARIBE
Num outro extremo, na parte leste do país, à beira do oceano Atlântico, fica o Caribe guatemalteco, personificado pela baía de Amatique. Puerto Barrios, a 297 km da cidade de Guatemala, é o ponto de partida para Amatique. Embora sem as águas turquesas e transparentes comuns na região caribenha, há no lugar atrações interessantes, como o Parque Nacional do Rio Dulce. Lá, ao sul de Belize e na costa guatemalteca, fica o povoado de Livingston, habitado desde o séc. XVIII por negros que vieram das Antilhas. A população hoje é composta por mestiços de negros e índios, que são chamados garífunas. Falam inglês e garífuna, um idioma próprio, mistura de inglês, francês e espanhol. É uma cultura tão especial, interessante e original que em 2001 a Unesco a declarou Patrimônio da Humanidade. Livingston, com 40 mil habitantes que vivem de pesca, agricultura, comércio e turismo, é um lugar ao qual só se chega de barco. Dispõe de pequenos hotéis e animada vida noturna. Lá, como se poderia imaginar, não funciona a lei seca que vigora no resto do país.

Um interessante passeio que se pode fazer é o de lancha pelo Rio Dulce, até o lago Izabal. Nas margens vê-se bonitas casas particulares e pequenas pousadas. É um lugar paradisíaco. O rio Dulce, que tem 42 km de extensão, nasce no lago de Izabal, onde fica o Castelo de São Felipe, e deságua na baía de Amatique. Construído no princípio do século XVII, o castelo era uma fortaleza militar, e está aberto à visitação.

TIKAL
O mais importante centro arqueológico das Américas é Tikal, no norte do país, em plena selva de Petén. O lugar foi descoberto oficialmente em 1848, por dois guatemaltecos, Modesto Mendez e Ambrosio Tutti, que chegaram até lá em lombo de burro. É considerado o coração do mundo maia, e teve 90 mil habitantes em 750 d.C., seu período áureo.

Em todo o território da Guatemala os maias construíram mais de três mil cidades. Só na região de Petén havia mais de vinte povoados, desta civilização que foi uma das mais refinadas da história. Os maias trabalhavam o jade e esculpiam a pedra, tinham conhecimentos de astronomia, medicina, um calendário espantosamente preciso, boas noções de planejamento urbanístico e de arquitetura, senso artístico desenvolvido e matemática sofisticada. Já conheciam o conceito do zero, coisa que os europeus somente descobriram mil anos depois.

O sítio arqueológico de Tikal tem 16 km2 e mais de 4 mil vestígios arqueológicos, com templos, altares, pirâmides, palácios e moradias. O templo da serpente de duas cabeças tem 70 metros de altura. Tikal, hoje Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade, teve sua construção iniciada no ano 600 a.C., e foi um centro comercial extremamente importante até 900 d.C, quando entrou em decadência, com o abandono paulatino desta e de outras cidades maias.

Outro sítio arqueológico imponente é Quiriguá, a 210 km da cidade de Guatemala, desde 1985 Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade. É bem diverso, com grandes monumentos entalhados, representando os governantes e as divindades, o mais antigo datado de 3113 a.C. Há também pedras horizontais com aspecto zoomorfo, ou seja, de animais.

DICAS: Se quiser fotografar os indígenas, peça licença. Eles, invariavelmente, vão querer alguma gorjeta para dar a permissão
.* Na hora das compras, a ordem é pechinchar até a exaustão.
* Grande parte do roteiro pela Guatemala pode ser feito por terra. A estradas são boas, mas é preciso cuidado, pois o trânsito é louco, e os motoristas fazem ultrapassagens inacreditavelmente perigosas.
(Cláudia Versiani viajou a convite da Copa Airlines e do Instituto Guatemalteco do Turismo).

Cuba

Categoria: América Central Cuba

Cuba, um cardápio variado de atrações

Cercada pelos vários tons de azul do mar do Caribe e banhada de sol durante 330 dias do ano, Cuba tem tudo para satisfazer os mais exigentes e variados desejos dos turistas do mundo todo.

O lazer se estende por inúmeras praias; o ecoturismo tem à sua disposição 300 áreas protegidas que ocupam 22% do território da ilha, com rica fauna e flora; o turismo de aventura dispõe de trilhas pelas matas e montanhas, o mar para mergulho, pesca e outros esportes aquáticos; negócios e convenções encontram infra-estrutura completa, o que tem feito de Cuba um dos países onde mais acontecem congressos e seminários científicos e culturais. E mais: o país provavelmente é um dos únicos a desenvolver o turismo de saúde, com programas específicos para isso.

Para completar, é na ilha cubana que se encontra a cidade mais remota das Américas, a parte antiga de Havana.

Com mais de 35 mil quartos, 65% da oferta hoteleira é composta de hotéis de 4 e 5 estrelas, instalados pelos diversos pontos de atração do país, como os que seguem abaixo:

Havana é o centro da vida cultural do país. O núcleo inicial da cidade – um assentamento amuralhado de 143 hectares e três fortalezas militares – foi declarado Patrimônio da Humanidade, em 1982, pela UNESCO.
Além de seu extenso litoral com 14 km de praia, a cidade é rica em monumentos arquitetônicos e históricos, como o Templete, um edifício neoclássico construído no local onde foi rezada a primeira missa; as praças: das Armas, da Catedral, de São Francisco; o Castelo dos Três Reis do Morro, uma das fortificações cubanas; o Capitólio; e o Malecón, que brinda os visitantes com uma das mais belas vistas da cidade.

Varadero recebe anualmente mais de um milhão de visitantes que desfrutam de seus 22 quilômetros de praias de areia branca e mar com diversos tons de azul em suas águas transparentes.
Ao lado desse grande atrativo, oferece também outros recursos naturais, como grutas e escarpas, um rosário de recifes virgens e de fácil acesso, formando um cenário ideal para todo tipo de atividade náutica e para a prática do mergulho, com 23 pontos de imersão. É em Varadero que se encontram o Centro de Convenções Plaza América e o único campo de golfe da ilha.

Cayo Largo del Sur, lugar privilegiado do Arquipélago dos Canarreos, é adequado para quem quer tranqüilidade e privacidade. São 24 praias em apenas 37,5 km2 de área, das quais se destacam a Sirena e a Blanca.
Os amantes do mergulho e da fotografia submarina podem se deparar com um espécime inesperado: um tesouro submarino. Diz a lenda que entre 1563 e 1784 ocorreram cerca de 200 naufrágios na região de Canarreos.

Holguín: Foi em seu litoral, mais precisamente na pequena enseada de Bariay, que Cristóvão Colombo desembarcou em 1492.
Além de suas 41 praias, entre as quais a de Guardalavaca e a Esmeralda se destacam na concorrida oferta de praias caribenhas, o visitante tem outros apelos: um percurso ecológico pela trilha para Las Guanas; visitar o Chorro de Maíta, o mais importante cemitério aborígene das Antilhas; e nadar com os golfinhos do Parque Natural Bahia de Naranjo.

Santiago de Cuba, hospitaleira, musical e caribenha, seu povo é o resultado da miscigenação de colonizadores espanhóis, escravos africanos, imigrantes franceses e crioulos de outras colônias das Antilhas. É nessa cidade que acontecem as comemorações populares mais famosas do país: o Carnaval de Santiago, o Festival do Caribe e a Festa do Fogo. Pelos seus atributos históricos, urbanísticos e culturais foi distinguida com a “Maçã de Ouro” pela Federação Internacional de Jornalistas de Turismo (FIJET). Está equipada de infra-estrutura adequada para congressos e seu entorno – montanhoso e marítimo – oferece condições para o lazer, turismo de aventuras, atividades náuticas e o turismo de saúde, um diferencial de Cuba.

Informações Gerais sobre Cuba :

Localização e extensão: o arquipélago cubano possui 110.992 km2 de superfície e é formado pela ilha de Cuba, a maior das Antilhas, a ilha da Juventude e cerca de 4.195 recifes e ilhotas.
Fica situado no Mar do Caribe, à entrada do Golfo do México, e distante 180 km da Flórida (EUA) e 210 km de Cancun (México).

Idioma oficial: espanhol.

Clima: subtropical moderado, com predomínio de temperaturas quentes. Média: 25,5º C.

Período de chuva: maio a outubro; seca: novembro a abril.

Economia: o turismo e a indústria açucareira são os dois sustentos da economia cubana.

História: foi descoberta em 27 de outubro de 1492 por Cristóvão Colombo. A dominação espanhola de quatro séculos terminou com a ocupação militar do país pelos Estados Unidos, em 1898, que prosseguiu até 1902. Nesse ano foi instaurada a república neocolonial. No dia 1º de janeiro de 1959 Fidel Castro vence a revolução popular iniciada em julho de 1953.

Culinária: o cardápio é resultado da confluência das culinárias espanhola, africana e indígena. O prato típico é o “ajiaco”, um cozido de vegetais e carne de porco, de ave e de vaca. Outras especialidades: porco assado e a banana verde frita.

Preparados à base de rum, são famosos os aperitivos cubanos: Cuba Libre, Mojito, Daiquiri, Cubanito e Saoco.

Consulado Geral da República de Cuba
Rua Cardoso de Almeida, 2115 – Sumaré
01251-001 – São Paulo SP
Tel. (11) 2369-8824

Powered by WordPress | Designed by: seo service | Thanks to seo company, web designers and internet marketing company