Monthly Archives: abril 2015

Uma Longa História de Descobertas e Refúgio. Perfeito para suas férias.

Categoria: Turista Turks e Caicos

Quando descrevem essas ilhas como “Lindas por natureza”, é realmente algo literal. As cristalinas águas de cor turquesa e praias de areias brancas são as marcas registradas das mais de 40 ilhas e ilhotas que formam o país. Pratique mergulho, pesca, golfe, windsurf e ski aquático o quanto quiser num dos cantos intactos do Caribe, tendo sido desenvolvido com o diferencial de estar localizado a apenas 925 quilômetros de Miami.

 

 

 

 

 

Com 80% do arquipélago inabitado e acessível apenas por pequenos aviões, balsas ou barcos, Turks e Caicos é o lugar onde aqueles que têm o espírito desejam ir.

Aventure-se além dos resorts de Providenciales para Grand Turk, sede do governo e lar de uma charmosa e histórica arquitetura colonial bermudiana. Após um vôo de 20 minutos partindo de Porvo, passeie pelas ruas típicas e estreitas para mergulhar nas lembranças da época de extração de sal e viagens marítimas do passado.

Visite o altamente conceituado Museu Nacional, abrigado num alojamento Guinep de mais de 150 anos.

 

A Migração de Baleias Jubartes do Atlântico é um dos Maiores Espetáculos da Natureza

Como chegar às ITC
Há vôos de Atlanta, Boston, Charlotte, Dallas, Miami, Newark, Nova Iorque, Filadélfia, Montreal, Toronto, Londres, Jamaica e Nassau com destino a Providenciales, o principal portão de entrada para a maioria dos visitantes. Grand Turk e South Caicos também possuem aeroportos internacionais, porém com uma agenda de serviços mais limitada.

A American Airlines faz atualmente dois vôos diários partindo de Miami, e partindo de Dallas aos sábados.
A US Airways faz vôos diários partindo de Charlotte e Filadélfia, e partindo de Boston aos sábados.
A JetBlue Airways oferece serviços diários partindo de Nova Iorque/JFK, e partindo de Boston aos sábados.
A United Airlines viaja diariamente partindo de Newark, exceto nas terças-feiras.
A Delta Airlines possui vôos diários partindo de Atlanta.
Fora dos EUA, a Air Canada voa sazonalmente de Toronto, Montreal e Ottawa.
A West Jet possui vôos de Toronto e Montreal.
A British Airways voa partindo de Londres nos domingos.
A Bahamasair voa de Nassau nas terçasfeiras, quintas-feiras e sábados.
A Inter-caribbean Airways possui vôos entre Provo, Nassau, República Dominicana, Haiti e Jamaica.

Informações de contato:
Inter-caribbean Airways: 649 946 4999 www.intercaribbean.com/
Caicos Express Airways: 649 941 5730 www.caicosexpressairways.com
Global Airways: 649 941 3222

Requerimentos de entrada
Passaportes são obrigatórios para todos os visitantes, porém, não é necessário visto para cidadãos dos Estados Unidos, Canadá, União Europeia e Países da Comunidade Britânica. Os viajantes são aconselhados a entrarem em contato com o Consulado Britânico mais próximo. Todos os visitantes devem possuir bilhetes de ida e volta.

Por favor, entre em contato com o Departamento de Imigração local (649 941 7792 www.immigration.tc) para mais informações.

 Taxa de partida

É cobrado $60 sobre todas as pessoas com mais de 2 anos de idade.
Na maioria dos casos, essa taxa é cobrada pela companhia aérea ou agente de viagem no momento da compra do bilhete.

Uma Longa História de Descobertas e Refúgio. Perfeito para suas férias.
Quando descrevem essas ilhas como “Lindas por natureza”, é realmente algo literal. As cristalinas águas de cor turquesa e praias de areias brancas são as marcas registradas das mais de 40 ilhas e ilhotas que formam o país. Pratique mergulho, pesca, golfe, windsurf e ski aquático o quanto quiser num dos cantos intactos do Caribe, tendo sido desenvolvido com o diferencial de estar localizado a apenas 925 quilômetros de Miami. Com 80% doarquipélago inabitado e acessível apenas por pequenos aviões, balsas ou barcos, Turks e Caicos é o lugar onde aqueles que têm o espírito desejam ir.
Aventure-se além dos resorts de Providenciales para Grand Turk, sede do governo e lar de uma charmosa e histórica arquitetura colonial bermudiana. Após um vôo de 20 minutos partindo de Porvo, passeie pelas ruas típicas e estreitas para mergulhar nas lembranças da época de extração de sal e viagens marítimas do passado.Visite o altamente conceituado Museu Nacional, abrigado num alojamento Guinep de mais de 150 anos.

A Migração de Baleias Jubartes do Atlântico é um dos Maiores Espetáculos da Natureza

Como chegar às ITC

Há vôos de Atlanta, Boston, Charlotte, Dallas, Miami, Newark, Nova Iorque, Filadélfia, Montreal, Toronto, Londres, Jamaica e Nassau com destino a Providenciales, o principal portão de entrada para a maioria dos visitantes. Grand Turk e South Caicos também possuem aeroportos internacionais, porém com uma agenda de serviços mais limitada.
A American Airlines faz atualmente dois vôos diários partindo de Miami, e partindo de Dallas aos sábados.
A US Airways faz vôos diários partindo de Charlotte e Filadélfia, e partindo de Boston aos sábados.A JetBlue Airways oferece serviços diários partindo de Nova Iorque/JFK, e partindo de Boston aos sábados.A United Airlines viaja diariamente partindo de Newark, exceto nas terças-feiras.A Delta Airlines possui vôos diários partindo de Atlanta.

Fora dos EUA, a Air Canada voa sazonalmente de Toronto, Montreal e Ottawa.A West Jet possui vôos de Toronto e Montreal.A British Airways voa partindo de Londres nos domingos.A Bahamasair voa de Nassau nas terçasfeiras, quintas-feiras e sábados.A Inter-caribbean Airways possui vôos entre Provo, Nassau, República Dominicana, Haiti e Jamaica.
Informações de contato:Inter-caribbean Airways: 649 946 4999 www.intercaribbean.com/
Caicos Express Airways: 649 941 5730 www.caicosexpressairways.com
Global Airways: 649 941 3222
Requerimentos de entrada
Passaportes são obrigatórios para todos os visitantes, porém, não é necessário visto para cidadãos dos Estados Unidos, Canadá, União Europeia e Países da Comunidade Britânica. Os viajantes são aconselhados a entrarem em contato com o Consulado Britânico mais próximo. Todos os visitantes devem possuir bilhetes de ida e volta.Por favor, entre em contato com o Departamento de Imigração local (649 941 7792 www.immigration.tc) para mais informações.
Taxa de partida
É cobrado $60 sobre todas as pessoas com mais de 2 anos de idade.Na maioria dos casos, essa taxa é cobrada pela companhia aérea ou agente de viagem no momento da compra do bilhete.

Isolde Altmann Helgert nos deixa aos 94 anos, em São Paulo, missa é hoje!

Categoria: Ecologia

PARA ISOLDE, LINDAMENTE ADORMECIDA PARA SEMPRE                                                                                       Mariza Torelli

Eram três e meia da tarde de sábado, dia 18 de abril de 2015, quando vi o recado da Betina dizendo “A vovó Isolde falaceu às 6 horas da manhã, e o enterro será às quatro horas no Gethsemani Morumbi, em São Paulo. Meu coração baqueou. Uma tristeza tomou conta de mim e, ao mesmo tempo, o desejo de vê-la pela última vez. Coração consternado e olhos marejados.

WTM Latin America 2015: O que não perder na terceira edição da feira

Categoria: Trade

Começa hoje a terceira edição da WTM Latin America, no Expo Center Norte, simultaneamente ao 43º Encontro Comercial Braztoa, oferecerá aos expositores e visitantes uma série de oportunidades imperdíveis para fechar negócios, fazer contatos e estreitar relações com serviços, empresas de viagens e destinos do mundo inteiro.

França lança uma plataforma de reservas especializada em turismo acessível

Categoria: Turista

O Site www.Handibooking.com tem a ambição de facilitar a vida do turista com deficiência. Nós colocamos no ar nosso site há pouco mais de um mês e o retorno é impressionante. Trata-se de uma plataforma de reservas com ofertas voltadas para pessoas com deficiência mental, auditiva, motora, visual ou mental” explica o empresário Christian Gatta.

Panamá

Categoria: Europa Panamá

PANAMÁ – ENCRUZILHADA DAS CULTURAS DO MUNDOAlém de abrigar a maior biodiversidade da vida selvagem, mais que qualquer outro país da América Central, o Panamá é dotado de atrações da natureza, como praias, lagos , duas costas matrítimas, selvas, florestas e matas tropicais e todo o tipo de vida animal terrestre e aquática.Cerca de 25% da massa de terra é protegida através de 14 parques nacionais, uma dúzia de reservas florestais e 10 abrigos para a vida animal.
Centenas de ilhas e quilômetros de bancos de coral oferecem soberbas oportunidades de mergulho, natação e prática de esportes. marinhos. O Panamá foi descoberto em 1.501 por Rodrigo de Bastidas, capitão que velejou com Colombo em sua segunda viagem à América. Naquela época, cerca de 60 tribos indígenas viviam no Panamá.
Há três grupos étnicos importantes no Panamá: os Kunas, na Ilha de San Blas, no Caribe, o Emberá, na provincia de Darién e os Guaymies nas provincias de Chiriqui, Bocas del Toro e Veraguas. Há ainda os índios Teribe e Bokota em Bocas del Toro e os Wounaans no Darién. Essas tribos, ao longo dos 450 anos de espanhóis, índios e imigrantes dos quatro continentes, forjaram a variedade e profundidade da história, cultura e tradição panamenhas.
A diversidade étnica do Panamá é demonstrada na diversidade dos produtos tradicionais, na colorida ” Pollera”, o vestuário nacional, e nos ” tembleques” que as mulheres usam no cabelo. Os homens usam camisas de manga comprida, calças compridas e o chapéu ” Montuno”. As festividades do Carnaval ocorrem antes da quaresma. Os festivais em honra ao Santo Patrono abundam nas cidades de todo o país, durante todo o ano.

GeografiaA área total do Panamá é de 18,233 quilômetros quadrados. Uma cadeia de montanhas forma a espinha desse país em forma de “S”, com picos de cerca de 2,400 metros de altura. A topografia varia de montanhas, na costa caribenha a pequenos montes e amplas savanas na direção do Pacífico. As planícies representam quase 85 por cento do território do país. A floresta tropical é a vegetação dominante na Zona do Canal, ao longo da
costa caribenha e na metade oriental do país. Mais de 1.000 ilhas são encontradas dentro da área territorial do Panamá. Cerca de 500 rios cortam o país e mais da metade do Panamá ainda guarda suas florestas. No Canal, o Panamá tem apenas 80 quilômetros de largura.
População

Segundo o censo de janeiro de 1.990, a população é estimada em 2.600.000. Cerca de 49 por cento dos habitantes vivem nas áreas urbanas. A população da Cidade do Panamá, a capital, é avaliada em 825.300 habitantes. Os panamenhos originam-se de muitas etnias e bases nacionais diferentes, sendo 62% mestiços, 14% africanos, 10% espanhóis, 5% mulatos e 5% índios.

Governo

A República do Panamá é um estado soberano e independente. Seu governo é unitário, republicano, democrático e representativo. Compõe-se de três seções governamentais: Executivo, Legislativo e Judiciário. Politicamente, o Panamá divide-se em 9 Províncias e 2 Comarcas ou Territórios Indígenas que, por sua vez, são divididos em 67 Distritos.

Religião

Há total liberdade de crença no Panamá. Embora a maioria dos panamenhos seja católica romana, há inúmeras igrejas, templos e sinagogas com serviços diários.

Idioma

Embora o espanhol seja o idioma oficial do Panamá, o inglês é amplamente falado e entendido nas grandes cidades.

Clima

O país possui um clima tropical agradável, uma temperatura média de 27 ºC, mas chove à noite e é bastante confortável. A umidade apresenta a média de 70%. A estação das chuvas vai de maio a dezembro. Durante a Estação da Seca, os ventos mantêm o ar constantemente fresco. Nas montanhas, a temperatura média é de 10ºC a 15ºC.

Vestuário

Recomenda-se o uso de roupas leves. Para o trabalho, o vestuário é formal, sendo recomendado um terno leve para homens e vestidos ou calças compridas para as mulheres. É necessário o uso de chapéus com abas e óculos escuros para a praia e caminhadas.

Hora

O país do Panamá está localizado, durante todo o ano, na Hora Padrão da Zona Oriental dos Estados Unidos.

Serviços Públicos e Eletricidade

A eletricidade é de 110v – 60hz e 220v. O Panamá possui excelentes serviços de comunicações internacionais via telefone e cabo. Há sistema de ligação telefônica direta para o interior do país e todos os países do mundo. O código telefônico internacional do país é 507.

Moeda e Taxas Locais

Desde 1.904, o dólar americano é moeda legal no Panamá. A unidade monetária panamenha é o Balboas (B /.) ou em dólares ($). Os travelers checks e cartões de crédito são amplamente aceitos. A taxa de embarque internacional, no momento, é de US$20.00, cobrada no aeroporto. As taxas nos hotéis são de 10% e o Imposto Sobre Consumo, cobrado sobre os bens e serviços que não sejam alimentação e medicamentos, é de 5%.

Panamá, Centro Bancário

Cerca de 150 bancos internacionais e suas filiais atuam no Panamá. Aqui estão representados os Estados Unidos, Brasil, Colômbia, Venezuela, Taiwan, Argentina, Coréia do Sul, Japão, Alemanha, Holanda, Suíça, Canadá, China, Espanha, França e outros países. Os horários bancários são, normalmente de segunda-feira a sexta-feira, das 8:00 h às 13:00 h ou 15:00 h. Alguns bancos funcionam aos sábados, até às 18:00 horas.

Compras

O Panamá é porto livre para produtos de todo o mundo, com jóias, pedras preciosas, toalhas de mesa bordadas, artesanato original, relógios, perfumes, máquinas fotográficas, equipamentos eletrônicos e fotográficos, equipamentos domésticos elétricos, cristal e porcelana fina, tudo a preços razoáveis. A maioria das lojas funcionam das 9:00 h
às 20:00 h, de segunda-feira a sábado.; Muitas abrem aos domingos e há liquidações durante o ano todo. Os supermercados são modernos e bem sortidos, muitos abertos 24 horas. Há grandes e modernos shopping centers no Panamá, com grande variedade de lojas especializadas. A cidade do Panamá é o paraíso das compras. Na Via España e na Avenida Central, encontra-se de tudo, da última moda aos computadores mais
complexos e artesanatos a bons preços.. As lojas de artesanato oferecem uma variedade de trabalhos em madeira e em palha, bordados e pinturas, além das famosas Molas feitas à mão pelos índios Kuna.

Transportes

Por terra, a Rodovia Pan-Americana Highway, também chamada de Rodovia Inter-Americana do Panamá, liga a Cidade do Panamá à fronteira da Costa Rica. Nessa altura, a selva de Darién ainda é impenetrável, impedindo o acesso por terra à Colômbia. A Rodovia Trans-Istmo conecta a Cidade do Panamá a Colon.
Mesmo as áreas mais remotas do Panamá podem ser atingidas por estradas secundárias asfaltadas. O serviço de ônibus é bom e cobre todo o país, assim como para outros países da América Central e para o México. Os taxis cobram pela jornada e as grandes companhias de locação de carros estão representadas no Panamá. A idade mínima para dirigir é de 18 anos e as licenças para dirigir para estrangeiros têm 90 dias de validade.

Jogos e Cassinos

Os cassinos e outros jogos de azar são operados pelo governo e encontram-se, atualmente, em processo de privatização. A pista de corridas Presidente José Remon funciona nas quintas-feiras, sábados, domingos e feriados. No Panamá, os ganhos obtidos em jogos de azar não são tributados.

Requisitos para Entrada

Dependendo da cidadania do viajante, é necessário um passaporte válido e um visto, se requisitado pelo país de origem. O cartão turístico de $5.00 pode ser adquirido no balcão da companhia aérea no momento do embarque.

Companhias Aéreas

O Aeroprorto Internacional Tocumen localiza-se a 2 quilômetros do centro da cidade.
As companhias aéreas que servem o Panamá incluem American Airlines, AVIATECA, COPA, Continental Airlines, EVA Air, Delta Airlines, Iberia, LACSA, Mexicana e TACA. Os vôos domésticos partem do Aeroporto de Marcos A. Gelabert (Paitilla), na Cidade do Panamá. As companhias aéreas domésticas são Aeroperlas, Aero Taxi e Napiex.

Museus

Na Cidade do Panamá: Arte Religiosa Colonial; Ciências Naturais; Museu dAntropológico Reina Torres de Arauz; História do Panamá; Arte Contemporânea Afro-Antilhana; Arte Contemporânea e Casa Bancária Nacional do Panamá. Em outras localidades do Panamá: Museu Histórico em Penonome e Museu das Tradições na província de Cocle; Museu de arte Religiosa em Parita e Museu Herrera em Chitre; Museu Belisário Porras em La Tablas, Museu da Nacionalidade em Los Santos e Museu Manuel F. Zarate
em Guarare, na província de Los Santos. Em David, na província de Chiriqui, encontra-se o Museu de História e Cultura José De Olbaldía. A entrada custa de $50.00 a $ 5.00. A maioria dos museus abre de segunda-feira a sexta-feira.

Recursos Naturais

Panamá é uma palavra pré-colombiana que significa abundância de peixes, borboletas e pássaros. A rica biodiversidade do Panamá se deve à sua configuração e posição geográfica única, criando um istmo de convergência das Américas para centenas de espécies da flora e da fauna.

As extensas florestas tropicais do país são o lar de mais de 950 espécies de pássaros – mais do que todas as espécies de pássaros encontradas nos Estados Unidos e no Canadá em conjunto. Seus oceanos abrigam um mundo aquático de recifes de corais intactos e banham praias de areia espetaculares.

PARQUES NACIONAIS E ABRIGOS PARA A VIDA ANIMAL

Parque Nacional Metropolitano

Localizado nos limites da Cidade do Panamá, é a floresta tropical protegida mais próxima da área urbana das Américas. É aqui onde o Instituto Smithsonian realiza pesquisas científicas e ecológicas sobre proteção florestal.
Nas caminhadas pelas trilhas bordeadas de orquídeas e árvores de mogno, são encontradas cerca de 200 espécies diferentes de pássaros, mamíferos e répteis.

Parque Nacional de Soberania

A apenas 25 minutos da Cidade do Panamá, esse parque protege a bacia do Canal do Panamá. Nos limites de Soberania encontra-se o lar da única águia Harpia do mundo e a Rodovia do Oleoduto orgulha-se de deter o recorde da contagem mundial de pássaros, feita pela Sociedade Audubon – e isso durante 19 anos seguidos.

Parque Nacional de Chagres

Este extenso parque é o maior do sistema de parques a proteger a bacia do Canal do Panamá. A apenas 35 minutos da Cidade do Panamá, essa região montanhosa é abençoada com quedas d’água e vistas panorâmicas majestosas, assim como florestas tropicais luxuriantes, onde competem a flora e a fauna tropicais.

Parque Nacional Camino de Cruces

Uma das áreas mais recentemente protegidas do país, atua como corredor biológico entre o Parque Natural Metropolitano e o Parque Nacional de Soberania. Seu nome vem da Era Colonial, como parte importante da “travessia” trans-ístimica, usada há cerca de 400 anos atrás pelos espanhóis, e que ainda se encontra no parque.

Parque Nacional Portobello

Suas ricas florestas tropicais estão a apenas 2 horas da Cidade do Panamá, pelo Istmo. Esse parque é atraente tanto em belezas naturais como culturais. Explore o forte colonial e as trilhas pela floresta ou mergulhe no Mar do Caribe para descobrir tesouros perdidos.

Parque Nacional Altos de Campana

A apenas uma hora a oeste da Cidade do Panamá, pela Rodovia Pan-Americana, situa-se a entrada deste parque. Ali se encontram vistas panorâmicas, temperaturas frias e trilhas acessíveis, repletas de atividades da vida selvagem. O Altos de Campanha, junto com os parques nacionais de Soberania, Chagres, Camino de Cruces e Portobello totalizam
mais de 400.000 acres de florestas tropicais que preservam a bacia do Canal do Panamá.

Parque Internacional La Amistad

Administrado em conjunto pelo Panamá e pela Costa Rica, pelas autoridades responsáveis, esse parque apresenta algumas das florestas tropicais de montanhas mais antigas e menos tocadas da América Central. É o lar de linces e muitas espécies endêmicas de pássaros, mamíferos e anfíbios.

Parque Nacional Vulcão Baru
Como La Amistad, o Vulcão Baru localiza-se nas montanhas do Chiriqui, a uma hora, de avião e mais 30 minutos de carro da Cidade do Panamá. É a maior elevação do país, a 2.400 metros acima do nível do mar. Um dia claro revela uma vista panorâmica tanto do Oceano Pacífico como do Mar do Caribe. O resplandecente pássaro Quetzal, dentre outras raridades, é encontrado nesse local.

Parque Nacional e Marinha da Ilha Bastimentos

Recifes de coral, grandes extensões de mangues, praias de areia branca e águas cristalinas retratam os arredores naturais do primeiro parque marinho do Panamá. Todos os anos, centenas de tartarugas do mar voltam instintivamente para as praias de Bastimentos para pôr seus ovos, garantindo a sobrevivência da espécie. Um paraíso para mergulho e snorkel. A ilha também é o lar de muitas espécies endêmicas de sapos e
preguiças. De avião, fica a apenas 35 minutos da Cidade do Panamá.

Parque Nacional da Ilha Coiba

A segunda maior ilha do Oceano Pacífico Americano após Vancouver, no Canadá. Contudo, os recifes de corais mais extensos e saudáveis do Pacífico dessa região do mundo localizam-se no parque. É dotado de vida marinha abundante, incluindo várias espécies de baleias e peixes coloridos, luxuriantes florestas tropicais, lar de espécies
espetaculares, incluindo as araras vermelhas e verdes.

Parque Nacional Cerro Hova

Localizado na extremidade sul da Península Azuero, contemplando o Oceano Pacífico, é uma das regiões menos exploradas do país. Aqui é fácil nos depararmos com o veado de rabo branco e o periquito Careto. É acessível por estrada a partir do Chiré.

Parque Nacional Sarigua

Região costeira extremamente árida, localizada a leste da Península de Azuero, é resultado de enchentes contínuas de água salgada provenientes do istmo do Panamá, das profundezas do oceano, há centenas de anos atrás.
As descobertas arqueológicas são um dos atrativos de uma viagem pela região. Localiza-se a 45 minutos de Chiré.

Parque Nacional Darién

Reserva Mundial da Biosfera, segundo declaração da UNESCO, protege uma região intocável de florestas tropicais exuberantes de cerca de 1,2 milhões de acres, ao longo da fronteira com a Colômbia, a leste do Panamá. Mais de 300 espécies de pássaros, incluindo a águia Harpia, 4 espécies de araras e muitas outras, endêmicas, fazem desse território um dos melhores postos de observação de pássaros do mundo. Rico em cultura
e história, o Darién é a terra dos povos indígenas Embera, Wounan e Kuna.

Reserva Natural de Punta Patiño

Única área protegida de propriedade particular do país, é administrada pela organização de conservação sem fins lucrativos, a ANCON do Panamá. Foi salva dos machados dos madeireiros há uma década atrás e é agora o refúgio de centenas de espécies da flora e da fauna no complexo de floresta tropical da reserva, ecossistemas de terra e mar.

Abrigo para a Vida Animal da Ilha de Barro Colorado

Localizado no Lago Gatun, no caminho do Canal do Panamá, é um pequeno espaço de terra famoso por ser a floresta tropical mais pesquisada do mundo. Administrado pelo Instituto Smithsonian, é um laboratório natural, onde, todos os dias, ocorrem importantes descobertas científicas. Colônias de formigas, famílias de macacos-aranhas, bandos
de queixadas, pássaros e borboletas são as principais atrações encontradas em suas trilhas.

Instituto de Turismo Panamenho
Información de Contacto
Avenida Balboa y Aquilino De La Guardia
Edificio BICSA Financial Center, Piso 29
Código Postal 0816
Aptdo. Postal 0816-00672
Central Telefónica: (507) 526-7000
http://www.atp.gob.pa
http://www.visitpanama.com

Roma

Categoria: Europa Roma

Localizada na região do Lázio,  Roma,  a  Cidade  Eterna é  um   verdadeiro  museu  ao  ar  livre,  com  seus  foruns  imperiais,  o  Coliseu,   o  Panteão, o Castelo Santo Angelo, o Vaticano e os seus museus,  as charmosas ruas antigas,  fontes encantadoras, praças de importância e beleza singulares.
A  cada  instante há uma oportunidade para  se reviver um pequeno  pedaço da história. 

Em qualquer época do ano é um bom momento para se ir a Roma.

A  temperatura  fica  mais  amena  na primavera  (abril-maio)   e  no  outono (outubro-novembro).

Há muito para ser visto. Reserve, portanto, tempo  necessário para apreciar um pouquinho de tudo.
Informações úteis
Altitude: 20 metros.


População: 3.000.000 habitantes.

Aeroportos internacionais: Leonardo Da Vinci (conhecido como Fiumicino) 26 km do centro e Roma Ciampino 15 km do centro. 

Código postal: 00100. 

Código de área: (+39) para o País e (06) para a cidade. 
Informações turísticas -  APT:

Via Parigi 11, fone 06-488991, fax 06-4819316; 

Via Parigi 5, tel. 06-48899228; 

Estação Termini (hall central), fone  06-4871270;

Aeroporto Leonardo Da Vinci (chegadas internacionais), fone 06-65957074.

Estações de trem: Termini (principal), Tiburtina, Ostiense, Roma Nord e Trastevere.

Metrô: 2 linhas ( A e B ) servindo os principais pontos da cidade (veja o mapa).

Rádio taxi: 4994, 3570.
Hotéis
Verifique as tarifas e fotos de hotéis indicados pela CIT. 

Não deixe de ver

 Piazza di Spagna
Local de beleza rara que veio a tornar-se a sala de estar da cidade, pelo simples fato de sua grande escadaria servir de ponto de encontro e ser freqüentada por turistas, jovens, artistas.

A  origem do nome da praça deve-se à presença da embaixada espanhola no passado.  Ao fundo e no alto da escadaria a Igreja de Trinità dei Monti, outra vista imperdível.

Aos finais de semana o movimento de freqüentadores aumenta consideravelmente.

Villa Borghese
Próximo  da  Piazza di Spagna  e da famosa  Via Veneto encontra-se  o mais bonito jardim público de Roma. Pode-se alugar barcos no Giardino del Lago, assistir eventos eqüestres  internacionais na Piazza Siena, durante  a primavera. Tem  ainda o  Giardino Zoologico, a Galleria d’ Arte Moderna, a Galleria Borghese e o maior museu  do mundo  sobre os

etruscos, antepassados dos romanos, o Museo Nazionale di Villa Giulia.

Fontana di Trevi
A  mais  famosa  e  espetacular  das  fontes  romanas  foi  construída  a  pedido  do Papa Clemente XII. Sua fama deve-se ao incrível efeito de seu mármore branco nas esculturas e por ter sido cenário de vários  filmes e pinturas. 

A  tradição  diz  que  se você  jogar  sobre  seu ombro esquerdo  uma  moedinha  à  fonte, garantirá seu breve retorno a Roma. 

Piazza Venezia

Enorme,   movimentadíssima   e  situada  bem  no  coração  da  cidade.

Na  parte  de  trás   dela   encontra-se   o  Monumento  di   Vittorio  Emanuele,   feito   em   homenagem  à  unificação italiana.  À  sua  esquerda  fica  o  Capitólio (Colina Capitolina).

Por sua localização,  facilita  o  acesso  aos diversos pontos de interesse. 

Colosseo (Coliseu) e Foruns

A arena,  construída em  72  DC para jogos e lutas,  tem  uma   estrutura considerada um milagre de arquitetura e engenharia, e serviu até de modelo para grandes estádios. 

Vale  a  pena  subir  suas  arquibancadas  superiores  para  se  ter  uma  vista dos arredores. Há um museu local que dá uma boa idéia de como era o Coliseu no seu apogeu. 

Ao seu  lado está o Arco di Constantino, um soberbo e restaurado arco do triunfo, imitado por outros arcos famosos como o de Paris e o de Londres. 

Dos  Foruns criados pelos imperadores romanos,  hoje só se tem um conjunto de pedras  empilhadas  e colunas,  e parte encontra-se  enterrada  sob a  Via dei Fori Imperiali.  Os  locais de maior interessante são o Foro di Trajano, cujo destaque fica por conta da Colonna di Trajano, e o Arco di Tito no Foro Romano. 

Pantheon (Panteão)

Localizado  na  Piazza della Rotonda,  o Panteão  é o monumento de melhor conservação da Roma antiga.  Foi construído  por Agrippa  em 27 AC  e  reconstruído  por  Adriano  em 125 DC.

Em 608 DC foi transformado em igreja cristã. Abriga tumbas de Rafael e Vittorio Emanuele. 

Piazza Navona

A  praça  é  muito agradável  e  bonita, com suas belíssimas fontes:  ao  centro  a Fontana dei Fiumi  (homenagem aos rios  Nilo,  Danúbio,  Ganges,  Plata)  e   nas extremidades a Fontana del  Moro e a Fontana di Nettuno.

No   verão  torna-se  ainda  mais  interessante   com  a  presença   constante   de  desenhistas  e  artistas  de  rua  de todo  tipo,   e  dos  freqüentadores  dos  cafés ao ar livre. 

  Igrejas
A cidade conta com várias igrejas católicas e em algumas estão guardadas verdadeiras relíquias.  A Basílica di Santa Maria Maggiore  tem  no seu  interior  mosaicos medievais. No altar encontra-se o maior tesouro da Basílica,  composto d e  cinco pedaços de madeira presos por grampos de ferro e que teriam sido parte do berço de Jesus. 

A fama  de Santa Maria in Trastevere  fica por conta de seus mosaicos e por talvez ser o mais antigo local de culto cristão da cidade.

Já Santa Maria in Cosmedim,  em arquitetura medieval, é famosa por abrigar na sua entrada  a   Bocca  della Verità, uma gravura em pedra da figura de uma boca aberta. Diz a lenda que o mentiroso que  colocar a mão na abertura levará uma mordida. 

Vaticano
A grandeza e a beleza  da  Praça  e Basílica de São Pedro  são suficientes para contentar a quem for a  Roma e  não consiga  ver o Papa.   É  uma visita imperdível. A colunas  de  Bernini  que  rodeiam  a praça  são de  fantástica simetria.   Há  um determinado ponto de observação na praça que comprova essa simetria.  No centro encontra-se um obelisco egípcio, trazido do delta do Nilo.   A  Basílica, maior igreja do mundo,   é  riquíssima  em obras de arte dos maiores artistas italianos,  como a Pietà de Michelangelo.  Não  deixe de  ver as Catacumbas  e   subir  ao domo para apreciar a maravilhosa vista de Roma e do Vaticano. 

Os  Museus do Vaticano  formam  um  complexo  de  salas  e  galerias  contando com coleções egípcias, etruscas, romanas, artes renascentistas e barrocas, 

trabalhos de Michelangelo, Rafael, Canova, Dalí, entre outros. É impossível conhecer toda a riqueza do Vaticano em menos de dois dias. Um roteiro mínimo deve incluir a Capela Sistina e as Salas de Rafael.

Castel Sant’ Angelo
Construído em 130 DC para servir de tumba a Adriano e seus sucessores imperiais. Depois de ser utilizado como forte da cidade, fortaleza e palácio papal, prisão e quartel, foi restaurado e transformado em museu desde 1933. Do lado de fora,  a  Ponte  Sant’Angelo, uma das mais pitorescas de Roma. 

Eventos 

Abril Festa da Primavera comemorada na Piazza di Spagna, quando suas escadarias ficam cobertas de  flores.  Também  ocorre  a  procissão da  Semana Santa,  que sai  do Coliseu  e  vai  até o Campidoglio. 

Maio Na primeira semana do mês acontece a Feira Eqüestre Internacional, na Villa Borghese. 

Junho Marca  o  início da temporada de concertos  de  verão.  Você  poderá  assistir  diversas  óperas famosas  encenadas  no  magnífico  cenário  das  Termas de Caracala.  Além disso,  há  muita música clássica nas igrejas e museus ou,  ainda,  encenações teatrais em Óstia Antica. 

Julho: Festa de Noantri, em Trastevere,  uma  feira  ao ar  livre  com muita música,  comida e fogos de artifício. 

Setembro Festival da uva, o Sagra dell’Uva, na Basílica de Constantino. Normalmente acontece no início do mês, com muito bom vinho. 

Outubro Acontece  a  feira dos  artesãos na  Via dell’Orso   e  ruas  próximas.   Há   também  feiras   de antiguidade em  duas  cidades  que  ficam  a uma  hora  de carro ao norte de Roma:  Orvieto   e Perúgia. 

Dezembro      A cidade se enche  de presépios  espalhados em diversas igrejas e na colorida  feira  natalina  e infantil da Piazza Navona.  Benção natalina do  Papa,  dada na Missa do Galo.   O  Ano Novo é comemorado com  grande  empolgação  em  toda  cidade,   inclusive  com  uma  das  tradições romanas que é  de jogar pela janela sua velha mobília. 


Onde comer e beber

Pastarito/Pizzarito
Via Veneto 13  -  fone  06-47472248

Pizzaria “La Baita”
Via Lucania 11/A  -  fone 06-4743347

Próximo ao Hotel Oxford. Fechada às segundas-feiras.

Ristorante Antica Pesa
Via Garibaldi 18  -  fone 06-5809236

Fechado aos domingos. 

Ristorante “Da Cencia”
Via della Lungaretta 67 -  fone 06-5812670

Próximo a Piazza S. Maria in Trastevere. Fechado aos domingos.

Ristorante “Er Moccoletto”
Via Lucania 35  -  fones 06-42873981/42828718

Próximo a Villa Borghese. Fechado aos domingos.


Ristorante “Tullio”

Via S. Nicola da Tolentino 26   -  fones 06-4818564/4745560

Travessa da Piazza Barberini. Recomenda-se reserva antecipada

Taverna Flavia
Via Flavia 9  -  fones 06-4745214/4817787

Fechada aos domingos.

Teatro Ristorante
“Fantasia di Trastevere”

Via di Santa Dorotea 6  -  fones 06-5882986/5894984

Peculiaridades: 
Caffé Greco 

Via dei Condotti 86 

Próximo da Piazza di Spagna. É o barzinho mais famoso da cidade, devido ao seu valor histórico. No passado era freqüentado por artistas, como Goethe. Pode não ser uma boa opção econômica.

Compras

Fazer compras em Roma pode ser realmente conveniente. Os preços de alguns produtos, quando comparados a cidades como Milão, Florença e Veneza, é em média 25% menor. 
As melhores pechinchas  são achadas  na maioria dos produtos feitos  artesanalmente  (couro, luvas, sapatos  e guarda-chuvas),  roupas e mobília  (objetos em metal, bronze, prata, mármore ou gesso). 

Lojas de grife
As mais bonitas vitrines e as principais marcas em roupas e jóias  estão  ao  redor  da  Piazza di Spagna, entre  Trinità dei Monti e Via del Corso, sendo as principais a Via dei Condotti, a Via Borgognona  e a  Via Frattina. 

Facilmente você encontrará  Giorgio Armani Boutique,  Emporio Armani, Gucci, Chanel, Trussardi, Fendi, Prada, Fiorucci, Gianni Versace, Laura Biagiotti, Missoni, Dolce & Gabbana, Bulgari. 

Lojas de Departamentos
Rinascente, no fim da Via del tritone. 

Upim, na Via Nazionale e atrás da Igreja de Santa Maria Maggiore.

Compras diversas
Lojas encontradas na Via Nazionale, Via del Tritone e Via Ottaviano (metrô Ottaviano, próximo ao Vaticano).

Mercado de Porta Portese 
O mercado livre em Porta Portese, na área de Trastevere, fica aberto todas as manhãs de domingo. Há um pouco de tudo, de roupas novas  e usadas, antigüidades, objetos  domésticos,  a  artigos realmente estranhos.  Chegar cedo é essencial, porque as melhores ofertas entram na primeira hora. 

Shopping Center
Existem  4 localizados em regiões mais  afastadas da cidade.  O mais acessível é o Cinecittàdue,  próximo  aos estúdios de cinema Cinecittà, Vialle P. Togliatti 2. Pode-se chegar através de metrô, linha A,  estações Cinecittà ou Subaugusta. 


 

São Paulo
Rua Bela Cintra, 904 – 3° andar
Consolação
01415-000, São Paulo, SP
Telefone:+55 (11) 2142 0700
http://www.ciandt.com/

 

Milão

Categoria: Europa Milão

MILÃONo coração da região mais rica da Itália,  a Lombardia,  encontra-se  a  cidade de Milão (Milano). Reconhecida  como  centro  das  finanças,  da moda,  do  design  e  da  alta tecnologia.
Destacam-se o Teatro Scala e o Duomo, como também seu sofisticado centro comercial. A cidade é ainda presenteada em sua arquitetura com algumas significativas obras, como  o  Castello de Sforzesco,  S.Maria delle Grazie,   a   Pinacoteca Brera  e o Museu Poldi Pezzoli. 
Informações úteisAltitude: 122 metros. 
População: 1.500.000 habitantes. 
Aeroportos internacionais: Linate (7 km de Milão) e Malpensa (45 km de Milão). 
Código postal: 20100. 
Código de área: (+39) para o País e (02) para a Cidade. 
Informações turísticas:
APT: Via Marconi 1, fone 02-72524300/3;
IAT:  Stazione Centrale (Estação Central), fone 02-72524360.
Estações de trem: Centrale, Lambrate, Nord e Garibaldi.
Metrô: 3 linhas (veja o mapa).
FS (Ferrovia italiana): Stazione Centrale, fone 147888088.
Rádio taxi: 5353.
 Hotéis Verifique as tarifas e fotos de hotéis indicados pela CIT. Não deixe de verLocalizado  na  Piazza  della  Scala,  o La Scala,  verdadeiro  templo   para   o lirismo italiano,  foi construído pelo arquiteto Giuseppe Piermarini em 1775-78 e  inaugurado em 1778 com a produção de  ” L’Europa Riconosciuta ” de  Antônio Salieri. 
O teatro  tem  um  formato  de  ferradura   e  estilo  neoclássico,   com  quatro camarotes  e  duas  galerias,  e  acomoda  2800 pessoas no seu auditório. 

A ala esquerda da primeira galeria é procurada por ter a melhor acústica.
O fabuloso lustre foi projetado por  Alessandro Sanquirico  em 1830.  O  museu da ópera,  Museo Teatrale,  fica situado  ao lado  esquerdo do teatro  e   abriga uma memorável coleção de Verdi, de Giulio Sambon e a própria coleção de gravuras do museu.

Na Piazza del Duomo, fica a terceira maior catedral gótica da  Europa,  o Duomo, que  possui impressionante dimensão interna. 
Uma imensa abóbada sustentada por 52 colunas colossais cobre cinco naves, capazes de abrigar  40 mil pessoas.   Os  vitrais  estão   entre  os maiores do mundo. O grande crucifixo acima do altar,   suspenso  através de esquema de roldanas projetado por Da Vinci,  contém um dos pregos da cruz na qual Cristo foi crucificado.

Em  frente à catedral, próximo da entrada,   encontra-se assentado no chão o maior relógio de sol do mundo (1786). 

À  esquerda  da Piazza  del  Duomo,  você  encontrará   a  Galleria   

Vittorio  Emanuele, construída com teto de vidro.  Vale até a pena pagar uma pequena fortuna  por  um café  só para ficar sentado à uma das 
mesinhas apreciando o movimento. O local é conhecido pelos milaneses como a galeria de salotto (sala de estar) e tem lojas, escritórios e cafés.  Dizem que quem quiser melhorar a sorte, deve procurar próximo ao piso em mosaico, sob a cúpula central,  o mosaico com o desenho de um touro  e pisar nos seus testículos.

Entre a Piazza della Scala  e a estação de metrô  Montenapoleone  você achará  o  Museo Poldi Pezzoli (Via Morone 8), famoso pelas pinturas de Pollaiuolo, Rafael, Mantegna e  várias coleções de antigüidade. 
O Castello Sforzesco é um dos marcos da cidade.  Abriga museus e pinacoteca.   Não deixe de visitar o interessante museu de instrumentos musicais.

A  10  minutos  de  caminhada  da   Via  Montenapoleone,   uma   das   mais movimentadas de  Milão,   você  encontrará  a   Accademia  Brera,  a  mais importante pinacoteca da cidade, localizada na Via Brera 28.

 

A  obra-prima   de  Leornado  Da  Vinci,  a Última Ceia,   pode  ser  vista  no mosteiro da   Igreja Santa Maria delle  Grazie,  e  perto  da  igreja  está  o Museo della Scienza e della Tecnica,  na Via San Vittore 21,  onde  estão expostos modelos e projetos do mestre das invenções. 


Onde comer e beber 

Alfredo Gran San Bernardo 
Via G.A.Borgese 14  -  fone 02-3319000 


Aimo e Nadia 

Via Montecuccoli 6  -  fone 02-416886 

IL Sambuco 
Via Messina 1  (localizado no Hotel Hermitage)  -  fone: 02-33610333 

Joia 
Via Panfilo Castaldi 18  -  fone 02-29522124

Gran Hotel Bar 
Via Ascanio Sforza 75  -  fone 02-89511586 

Antico Caffè Cova
Conhecido por sua decoração e sua boa produção de doces.  Localizado  na  interseção  de Montenapoleone e Sant’Andrea.

Compras

As vitrines da alta moda em Milão estão concentradas nas ruas  da área central,  que  se inicia a menos  de 10 minutos da Piazza della Scala e vai até as Vias Montenapoleone, Sant’Andrea e della Spiga. 
A  área   pode  ser  alcançada  facilmente  através  da linha  3 (amarela)  do metrô,  descendo   na  estação  de Montenapoleone. 

Via Montenapoleone: 
Salvatore Ferragamo e Valentino localizados próximo ao cruzamento entre as vias Borgospesso e Santo Spirito.

Passando a Via del Gesù, você encontrará Cartier e Louis Vuitton. 

Prada Uomo  é localizado  na esquina da Montenapoleone e  Via Bagutta.   Próximo você  achará  Mila Shön e Versace Donna. 

No lado esquerdo da rua,  Fratelli Rossetti e  Fausto Santini. 

E ainda Gucci, Etrof e a boutique de Gianni Versace. 

Via Sant’Andrea 
Missoni, Dolce & Gabbana,  Chanel, Moschino, Hermes,  Kenzo, e a boutique muito  freqüentada de  Armani. 

Trussardi, para homens e as mulheres, e Mario Valentino, roupas em couro e sapatos, estão ao término da rua. 

Via Della Spiga 
Esta rua, fechada para o tráfego, é a verdadeira Meca para os apreciadores de vitrines.Começando na interseção com Sant’Andrea você primeiramente encontrará Borsalino. 

Sonhe com as jóias de Bvlgari. Ao longo do lado oposto da rua, você verá Prada e a Bottega Veneta. 


 

São Paulo
Rua Bela Cintra, 904 – 3° andar
Consolação
01415-000, São Paulo, SP
Telefone:+55 (11) 2142 0700
http://www.ciandt.com/

 

Itália

Categoria: Europa

Índia

Categoria: Ásia Índia

Um sonho fantástico 

Mariza Torelli e Luiz Vicente Dias Lopes

  Voamos pela BRITISH AIRWAYS, compramos quase todos os roteiros aéreos aqui e fizemos o seguinte roteiro: São Paulo/Londres, Londres/Atenas, Atenas/Telaviv, Cairo/Bahrain, Bahrain/Delhi,     Delhi/Londres, Londres/São Paulo. Outros três trechos compramos lá.

  Em Londres, passeamos o dia todo e, em seguida visitamos a Grécia e suas belas ilhas, Telaviv, Jerusalém e arredores, voamos para o Cairo, onde conhecemos suas múltiplas atrações e depois  de um cruzeiro pelo Nilo e seus templos milenares, finalmente chegamos em New Delhi, Índia. 

 Desde a chegada, muita emoção. A época ideal para se visitar a Índia é janeiro e fevereiro, inverno, quando não chove muito. O calor estava demais em julho, pleno verão, 45ºC. Chegamos às 5 da  manhã, o aeroporto estava vazio. Num guichê de turismo reservamos hotel e chamaram um taxi, com preço pré-combinado.

 Enfrentando o trânsito e ganhando a ajuda de amigos

 Logo fizemos parte de um trânsito horrível: caminhões, carros, bicicletas, motos, requixás (bicicleta com assento para dois passageiros, impulsionado por homem), autorequixás – motos com leve  carcaça de lata fazendo as vezes de taxi, com taxímetro e tudo. Buzinam para avisar que estão saindo, que querem seguir, que querem parar, se vêem uma pessoa ou qualquer animal, acho que buzinam até para os mosquitos. Lotações são feitas ao longo do caminho. Os pedintes estão por toda parte. Muita gente mora na rua, toma banho na torneira da esquina ou bica e come restos. Ruas esburacadas, gente por toda parte, muita gente mesmo.

Ao chegarmos, o taxista levou-nos a vários hotéis, menos ao que fora escolhido. Todos ruins. Escolhemos um, pois estávamos muito cansados. Telefonamos para Narendra, que veio no ato. O gerente do Guest Hotel, ao vê-lo, imediatamente nos mudou para um quarto novo, limpo e muito bom. 

Narendra nos levou ao seu escritório, conversamos e ele ligou para o Rafi, agente de viagem. O endereço que poderá ajudar muito você na Índia é M. Rafi Sheikh,  mananger do Kashmir Himalayan Expeditions Pvtr. Ltd.,  17 Janpath Bhawan, New Delhi – 110 001, Índia, tel. 00 91 11 3322063 ou 3323829, 3321512, 3718154 e o fax é 00 91 11 3327749. Rafi nos levou ao seu escritório e ali fizemos todos os planos para conhecer um pouco da Índia e Nepal, com muito conforto. 

Orientados pelos guias/motoristas, em carros novos, mas de modelos antigos (custa caro para produzir modelos novos), ar condicionado, lá fomos nós para o triângulo dourado: Delhi, Agra e Jaipur. 

Todos olham para você, em todos os lugares, em todos os momentos: homens, mulheres e bebês. Está certo que nós somos diferentes, eles olham com curiosidade, pureza e amizade. No início a gente se choca, depois acostuma e sorri, eles também sorriem, com dentes ou sem dentes, não importa, o carinho é que conta. Outra coisa boa é a despreocupação, quanto à segurança. Ninguém mexe em nada, muito respeito pelo que é dos outros. 

Os preços para compras são ótimos, muitas coisas diferentes e artesanatos lindos. 

As mulheres são muito bonitas e sempre alegres envoltas em lindos e coloridos saris. 

A comida é barata, boa e farta, ideal para quem é amante da pimenta. Procure os mais caros restaurantes e hotéis, porém não esqueça de dizer: “no pepper, please!”.  Mesmo assim, correrá o risco da comida vir apimentada. Não beba a água que é servida na mesa, só mineral. Evite verduras cruas. São cuidados que devem ser tomados, pois não temos resistência aos micróbios e bactérias que tem por lá. Tendo um bom guia, você passará bem e se sentirá um marajá. 

A Índia possui altos executivos e pessoas de grande poder aquisitivo que se vestem muito bem e abusam das finas sedas e dos perfumes franceses. São vistos em lugares reservados e nos aeroportos.

 

Memorial Gandhi e os encantos do Triângulo Dourado

 Fizemos um tour por New Delhi e conhecemos o Memorial Gandhi, que mostra a história desse incrível herói da não violência, homem iluminado que lutou pela paz. O Memorial consta de muitas salas com a história, fotos e ícones com figuras humanas, representando cenas da vida de Gandhi. Também é usado para  cursos e seminários. 

Visitamos posteriormente o jardim, onde ele foi barbaramente assassinado e tem seus últimos passos representados no chão. Um belo jardim, com bonitos pássaros. 

Com nossos atenciosos guias, visitamos lindos palácios, templos e fortalezas em Delhi. Percorremos amplas e arborizadas avenidas, bairros nobres, hotéis suntuosos e lojas requintadas. Realmente, a gente percebe a grandiosidade de uma nação e, ao mesmo tempo, o desnível econômico e social que existe. 

Uma coisa boa é que todos falam inglês. Esse idioma trazido pelos “colonizadores” serviu para a compreensão e união idiomática do país. Todos o aprendem desde a escola primária, fazendo que se entendam, apesar de existirem centenas  de dialetos. 

A sagrada Índia é como caleidoscópio: uma infinidade de cores, aromas, sabores e texturas para ver, admirar, se emocionar.  Agra fica a um pouco mais de 250 km da capital, mas o carro leva cerca de seis horas, de 20 a 40 km por hora, porque nunca se sabe se, na estrada estreita de mão dupla e sem acostamento às vezes, estará parado na pista um veículo quebrado, pois quando o veículo quebra, permanece onde quebrou, todo o fluxo de trânsito terá que dar a volta nele. Na contramão  vem outros carros, caminhões, carroças, bicicletas, requixás, motorequixás, camelos ou elefantes transportando carga. Tudo isso em meio a muita buzina. 

Pudemos desfrutar do melhor e conhecer uma infinidade de templos, fortalezas e lugares sagrados. Sem dúvida, que a mais linda jóia de Agra é o Taj Mahal. Vê-lo ao por-de-sol é um presente dos deuses. O mármore branco torna-se róseo, um frescor divino reina, tudo é paz, menos os pássaros que fazem algazarra, voltando para seus ninhos. 

A terceira cidade do triângulo dourado é Jaipur, capital do estado de Rajasthan, popularmente conhecida como a cidade cor-de-rosa. O palácio dos Ventos, construído em 1799, possui 50 janelas bem estreitas, para que as 50 esposas do marajá Raj pudessem ver a rua, sem serem vistas. 

Vale a pena visitar a Índia. Faça o roteiro de seus sonhos e apresente ao seu agente de viagens. Com tudo pago e reservado, você ficará tranqüilo e poderá viver dias inesquecíveis. Boa Viagem! 


Informações úteis:

Tours por toda a Índia e reservas em hotéis:

www.indiamart.com

http://www.kashmirexpeditions.com/

Consulado Geral do Índia – São Paulo

Av. Paulista, 925, 7º andar, cep 01311-100 – São Paulo – SP

F: (11) 3279-3773.
Site: http://www.indiaconsulate.org.br/

Melhor mês para visitar a Índia: janeiro.
Menos aconselhável: julho.

Guatemala

Categoria: América Central Guatemala

Cláudia Versiani

Depois de uma semana visitando a Guatemala, o que fica na memória, acima de tudo, são cores, muitas cores. Cores nas lindas “telas”, que é como se chamam os tecidos feitos em tear manual; cores nos deslumbrantes bordados dos vestidos das mulheres, que mudam de desenhos, tonalidades e estilos de acordo com a zona geográfica; cores que enfeitam o criativo artesanato dos descendentes dos maias; e as cores da natureza, das flores e do céu. Até a moeda, o quetzál, rende suas homenagens: é o nome de um colorido pássaro, considerado símbolo nacional.

Guatemalán, palavra que no idioma nativo significa “lugar de bosques”, deu o nome a este belo país da América Central, do tamanho aproximado ao de Pernambuco, e que acaba de sair de uma guerra civil, que durou 36 anos e acabou em dezembro de 1996. O país, com 10 milhões de habitantes, faz fronteira com Belize, México, Honduras, El Salvador, e com os oceanos Atlântico e Pacífico. Desde o fim da guerra civil sob um governo democrático, ainda guarda sinais do regime de exceção, como a lei seca, que existe há seis anos, e que proíbe a venda de bebidas alcoólicas após a meia noite.

A população é pobre e o país o segundo em analfabetismo na América Latina. Mas já recebeu dois prêmios Nobel, conferidos ao escritor Miguel Ángel Asturias, prêmio de Literatura em 1968, e à índia Rigoberta Menchú, prêmio da Paz em 1992.

O território da Guatemala foi explorado pelo espanhol Pedro de Alvarado, sob as ordens de Hernán Cortés, conquistador do México. No oeste do país 90% da população é mestiça; no leste, onde houve muitos assentamentos espanhóis, esta proporção cai para 8%. A parte mais desenvolvida é a costa sul, com suas plantações de cana de açúcar. Os principais produtos do país são café, açúcar e banana. Há petróleo no norte, e a costa do Pacífico é boa para a pesca esportiva e para o surfe. O turismo tem crescido em importância, e o competente Instituto Guatemalteco do Turismo produz belo material impresso de divulgação do país. O parque hoteleiro é notável, com belíssimos hotéis e vilas de arquitetura típica, alguns funcionando em antigos conventos.

O país é coalhado de lagos e vulcões, bonitas paisagens e muitas atrações. Como em geral nos países latinos de língua espanhola, o artesanato é lindo, com destaque para as “telas”, bonitos tecidos feitos em tear manual, herança cultural antiquíssima, do tempo dos maias – que habitaram as terras guatemaltecas, assim como os vizinhos México, Belize e Honduras. O povo, com indisfarçáveis traços indígenas, é simples, amável e reservado, e fala, além do espanhol, mais 23 dialetos, espalhados pelas várias regiões.

REGIÃO CENTRAL
A Cidade de Guatemala, capital do país, foi construída no final do século XVIII, e mostra a tradicional organização urbanística das cidades coloniais espanholas, com a grande praça, em torno da qual ficam os principais edifícios civis e religiosos. À saída do hotel, a paisagem característica: o vulcão Pacayo solta um rolo de fumaça branca. São ao todo 33 vulcões no país, três em atividade.

Antigua Guatemala, a 45 km da capital e a 1.500 m de altitude, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. É uma linda e romântica cidade, com animada vida noturna. Fundada em 1543, foi capital do Reino da Guatemala, quando a região que hoje engloba Costa Rica, San Salvador, Honduras, Nicarágua e parte do México era uma capitania geral. A cidade tem fábricas de jóias, que utilizam o jade abundante no lugar. Passear a pé proporciona surpresas como encontrar, na Calle del Arco, no pátio interno da bonita Posada Dom Rodrigo, um conjunto de seis músicos tocando marimba, contrabaixo e bateria. Em volta, pessoas tomando drinques e ouvindo a originalíssima performance. Nesse lugar pode-se comer o Jocóm, um dos pratos típicos do país: frango com um molho verde, feito com espinafre, pimentão, uma espécie de tomatinho verde e salsão. Na mesma rua, um pouco mais adiante, fica o centro de artesanato, que tem bonitas peças à venda. Um dos mais interessantes hotéis do país fica na cidade, no antigo Convento de Santo Domingo, construído em 1547, com deslumbrantes pátios internos, típicos da arquitetura espanhola, uma belíssima igreja, museus arqueológico e de arte sacra. Vale a pena visitá-lo.

ARTESANATO
Indispensável é ir até Chichicastenango, onde há uma igreja do século XVI, dedicada a Santo Tomás, e onde se pode assistir a uma missa bilíngüe, rezada em espanhol e quiché, a língua indígena. Ritos sincréticos são feitos pela população no interior do templo, utilizando pétalas de rosas e aguardente. Os padres, exceto durante as missas, toleram este sincretismo, mistura da religião católica com antigos ritos maias. Nesta cidade, em 1700, foi encontrado o Popol-Vuh, livro sagrado dos maias quichés, que explica a origem do mundo segundo suas crenças. Noventa por cento da população é de indígenas, que queimam incenso nas escadarias da igreja, deixando-a misteriosamente envolta em fumaça. As ruas em volta da igreja são tomadas pelo mercado do bonito artesanato -– tecidos, cerâmica, madeira talhada e prata, tudo feito com técnicas transmitidas de geração a geração, desde os maias. É um dos melhores lugares para comprar a produção artesanal do país.

LAGO ATITLÁN
À beira do balneário de Panajachel – diga-se de passagem, uma ótima opção de hospedagem, com bons hotéis e pousadas, alem de animada vida noturna – e não muito longe de Chichicastenango, fica o grande lago vulcânico Atitlán, em volta do qual há doze cidadezinhas e três vulcões inativos: Tolimán, Atitlán e S. Piedro. O escritor inglês Aldous Huxley o chamou de “lago mais bonito do mundo”. Justa homenagem. E os guatemaltecos, claro, adotaram este epíteto.

Em Santiago de Atitlán, um dos povoados na beira do lago, vivem 35 mil pessoas, que, para variar, produzem e vendem seu artesanato, que prima pelos têxteis lindíssimos. Em algumas casas pode-se ver a chuj, sauna caseira que existe desde os maias. O sincretismo religioso se manifesta num curioso ritual com muito álcool e tabaco, e os praticantes vestidos com trajes típicos: é o culto a Maximon, imagem vestida de maneira berrante, que fica na casa dos fiéis. Coloridas e curiosas são também as roupas das imagens dos santos da igreja de Santiago, construída em 1547.

CARIBE
Num outro extremo, na parte leste do país, à beira do oceano Atlântico, fica o Caribe guatemalteco, personificado pela baía de Amatique. Puerto Barrios, a 297 km da cidade de Guatemala, é o ponto de partida para Amatique. Embora sem as águas turquesas e transparentes comuns na região caribenha, há no lugar atrações interessantes, como o Parque Nacional do Rio Dulce. Lá, ao sul de Belize e na costa guatemalteca, fica o povoado de Livingston, habitado desde o séc. XVIII por negros que vieram das Antilhas. A população hoje é composta por mestiços de negros e índios, que são chamados garífunas. Falam inglês e garífuna, um idioma próprio, mistura de inglês, francês e espanhol. É uma cultura tão especial, interessante e original que em 2001 a Unesco a declarou Patrimônio da Humanidade. Livingston, com 40 mil habitantes que vivem de pesca, agricultura, comércio e turismo, é um lugar ao qual só se chega de barco. Dispõe de pequenos hotéis e animada vida noturna. Lá, como se poderia imaginar, não funciona a lei seca que vigora no resto do país.

Um interessante passeio que se pode fazer é o de lancha pelo Rio Dulce, até o lago Izabal. Nas margens vê-se bonitas casas particulares e pequenas pousadas. É um lugar paradisíaco. O rio Dulce, que tem 42 km de extensão, nasce no lago de Izabal, onde fica o Castelo de São Felipe, e deságua na baía de Amatique. Construído no princípio do século XVII, o castelo era uma fortaleza militar, e está aberto à visitação.

TIKAL
O mais importante centro arqueológico das Américas é Tikal, no norte do país, em plena selva de Petén. O lugar foi descoberto oficialmente em 1848, por dois guatemaltecos, Modesto Mendez e Ambrosio Tutti, que chegaram até lá em lombo de burro. É considerado o coração do mundo maia, e teve 90 mil habitantes em 750 d.C., seu período áureo.

Em todo o território da Guatemala os maias construíram mais de três mil cidades. Só na região de Petén havia mais de vinte povoados, desta civilização que foi uma das mais refinadas da história. Os maias trabalhavam o jade e esculpiam a pedra, tinham conhecimentos de astronomia, medicina, um calendário espantosamente preciso, boas noções de planejamento urbanístico e de arquitetura, senso artístico desenvolvido e matemática sofisticada. Já conheciam o conceito do zero, coisa que os europeus somente descobriram mil anos depois.

O sítio arqueológico de Tikal tem 16 km2 e mais de 4 mil vestígios arqueológicos, com templos, altares, pirâmides, palácios e moradias. O templo da serpente de duas cabeças tem 70 metros de altura. Tikal, hoje Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade, teve sua construção iniciada no ano 600 a.C., e foi um centro comercial extremamente importante até 900 d.C, quando entrou em decadência, com o abandono paulatino desta e de outras cidades maias.

Outro sítio arqueológico imponente é Quiriguá, a 210 km da cidade de Guatemala, desde 1985 Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade. É bem diverso, com grandes monumentos entalhados, representando os governantes e as divindades, o mais antigo datado de 3113 a.C. Há também pedras horizontais com aspecto zoomorfo, ou seja, de animais.

DICAS: Se quiser fotografar os indígenas, peça licença. Eles, invariavelmente, vão querer alguma gorjeta para dar a permissão
.* Na hora das compras, a ordem é pechinchar até a exaustão.
* Grande parte do roteiro pela Guatemala pode ser feito por terra. A estradas são boas, mas é preciso cuidado, pois o trânsito é louco, e os motoristas fazem ultrapassagens inacreditavelmente perigosas.
(Cláudia Versiani viajou a convite da Copa Airlines e do Instituto Guatemalteco do Turismo).

Powered by WordPress | Designed by: seo service | Thanks to seo company, web designers and internet marketing company